Ir para a escola é uma tarefa rotineira que faz parte da vida de milhões de crianças Brasil afora. E se, para aquelas que já tem a oportunidade de ir a pé, aparecesse a chance de ir acompanhadas por outras crianças? A ida pra escola ficaria muito mais divertida, certo?

Foi assim que, em 2015, a professora Carolina Padilha teve uma super ideia enquanto caminhava até o Colégio Equipe, onde leciona, no bairro de Santa Cecília, em São Paulo. Por que não oferecer caronas a pé para as crianças que estão indo para a mesma escola? Com a ajuda de outra mãe, a cineasta Juliana Levy, Carolina rapidamente colocou a ideia em prática e em junho do mesmo ano, surgiu a primeira rota a caminho da escola. 9 crianças participaram desta rota piloto que, a partir de então, não parou de ganhar adeptos.

“No semestre seguinte continuamos com as rotas, mas aí aconteceu algo curioso. Algumas crianças começaram a falar dentro da escola que a Carolina gostava mais de umas que de outras. Tivemos que conversar com a escola, com as crianças, e resolvemos fazer uma apresentação para toda a comunidade escolar”, conta a arquiteta Renata Morettin, que, junto de Carolina e Juliana, fazem o Carona a Pé acontecer há 2 anos.

Cada rota tem de 2 a 12 crianças que vão caminhando com a ajuda e orientação de condutores que são sempre o pai, a mãe ou outra pessoa da família. Hoje, são 9 rotas simultâneas acontecendo, com um total de 80 crianças participando. A faixa etária dos pequenos varia de 4 a 12 anos e todas usam uma faixa de identificação fornecida pela escola. Existem rotas de até mais de 2km, mas essas são apenas para crianças a partir de 5 anos, pois é puxada demais para os mais pequenos.

Benefícios para as crianças e para a comunidade

“Tem criança muito tímida que achávamos que nem participaria, mas para nossa surpresa vem conversando, socializando. Essa parte é muito bacana, porque todas as crianças preferem vir de carona a pé do que sozinhas ou de carro”.

Falando de saúde, os benefícios são diversos. Adultos, jovens e crianças exercitam a resistência e trabalham a parte cardiovascular em caminhadas frequentes. Em tempos de obesidade infantil, nada melhor que incentivar bons hábitos desde criança, não é mesmo?

Do lado da escola, há relatos de melhora de pontualidade. “As crianças nunca chegam atrasadas quando vão de carona a pé”, afirma Renata. Outro benefício que extrapola os muros da escola diz respeito ao trânsito local. “O fluxo de carros diminuiu em frente ao colégio, o tráfego flui melhor, sentimos uma boa melhora”, conta a arquiteta.

Planos para o futuro

O projeto Carona a Pé deu tão certo nestes quase 2 anos que o trio transformou o projeto em empresa social. “Carona a Pé já é uma empresa, temos plano de negócios e estamos correndo em busca de patrocínio. Nossa ideia é que novas escolas incentivem esta ideia de mobilidade e estejam por trás dessa ação que engaja, sociabiliza e gera saúde”, explica Renata.

E você, leva seu filho a pé para a escola? O que acharia de um projeto deste na sua escola? Conte para nós!