Não é difícil ouvir histórias de mães que sofrem para conseguir fazer com que os filhos se alimentem bem. Em muitos casos, os pequenos só escolhem itens calóricos, doces e gordurosos. Em outros, param de comer e pronto! Não há quem consiga fazê-los beliscar nem um pedacinho do que está no prato. Como fazê-los, então, se interessar por legumes, verduras e outros alimentos importantes?

O primeiro passo é mostrar que o saudável também é gostoso! A chef de cozinha Adriana Mac Dowell sabe disso como poucos. Ela ajuda pais, escolas e ainda dá aulas de culinária para crianças. Quer saber como ensinar os pequeninos a se alimentarem bem? Anote algumas dicas dessa profissional no assunto.

1.Quer o prato do seu filho sempre colorido e com opções saudáveis? Então opte pelo caminho da orientação, e não da obrigação. A ideia não é proibi-lo de comer doces ou alimentos gordurosos, mas sim fazer com que ele entenda a importância de cada elemento do cardápio.

2. A criança tem dificuldades para se alimentar? Segundo Adriana, na maioria dos casos, esses pequenos não possuem o hábito de frequentar a cozinha, e nem assistem aos pais ou familiares preparando os alimentos. Muitas nem gostam de pegar os ingredientes com as mãos! Para corrigir esse hábito, leve os pequenos até a cozinha, apresente os ingredientes. Transforme sua volta do supermercado em um momento de aprendizado para eles.

3. Mas como prender a atenção deles em uma conversa sobre alimentos? Conte a origem dos ingredientes criando um universo especial, sempre envolvendo cultura, geografia e história. Além de aprender, a criançada fica superenvolvida!

4. A partir dos dois anos de idade, você pode deixar a criança te ajudar durante a preparação de uma receita. Nessa fase, eles gostam de usar as mãos para conhecer novas texturas e objetos. Então, nada melhor do que deixá-los amassar uma massa de pizza, por exemplo. Falando em massa, o processo de transformação dela em alimento também prende a atenção dos pequeninos.

5. Já os maiores, com até 6 anos, podem participar de processos que envolvam medidas. “Quantas xícaras de açúcar vão nessa receita? Ou quantos ml de leite precisamos dessa vez?”. Deixe eles contarem!

6. Quando estão em grupo, a brincadeira pode ser dividir as fases da receita entre eles. Um coloca o leite, outro mede a quantidade de farinha, outro mexe a panela, e assim vai… Dessa forma, você ainda incentiva o convívio em grupo e a união entre eles.

7. Adriana avisa que, até completarem 12 anos, não é legal permitir a participação deles em tarefas que envolvam o forno ligado. “Além disso, independente da idade, deixe bem claro a importância de hábitos de higiene, como lavar as mãos e usar luvas”, ela completa. Já pensou que fofinho o seu filho vai ficar de avental e touquinha? Comprar esses acessórios também ajuda a empolgá-los em participar das tarefas na cozinha!

8. Outro cuidado importante é nunca deixar a criança sozinha na cozinha. Além disso, crie um espaço onde ela possa se apoiar de maneira firme e segura. Nada de banquinhos ou cadeiras leves.

Sabia que os cereais integrais são super importantes para a saúde e funcionamento do nosso intestino, inclusive das crianças? Além disso, eles são ótimas fontes de energia para o corpo, e se tem uma coisa que a criançada precisa é de energia, não é?!

Aqui falamos mais ainda sobre a importância da alimentação no desenvolvimento infantil.

Depois de tudo isso, faça um jantar ou almoço especial com toda a família à mesa para prestigiar os pratos da criançada! Gostou da ideia? Então não se esqueça de contar nos comentários como foi esse banquete preparado pelos pequenos!