O dia 14 de novembro é dedicado a lembrar de uma doença que só no Brasil afeta mais de 14 milhões de pessoas: o diabetes. O diabetes é uma doença crônica, caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar do sangue (glicemia), devido à ausência total ou parcial da insulina (hormônio produzido pelo pâncreas responsável por diminuir os níveis de açúcar no sangue) e/ou a incapacidade desse hormônio realizar as suas funções.

Há dois tipos principais de diabetes: diabetes tipo 1, na qual o organismo não produz insulina suficiente e diabetes tipo 2, quando o organismo não produz insulina suficiente ou não consegue utilizá-la de forma apropriada. Este último tipo de diabetes está normalmente relacionado ao estilo de vida. Existem diversas causas para o desenvolvimento do diabetes, as modificáveis (ambientais) e/ou não modificáveis (genéticas e idade). As causas modificáveis incluem: estilo de vida sedentário, uma alimentação não adequada, excesso de peso, estresse, pressão alta e dislipidemia.

Quando se fala na alimentação para pessoas com diabetes, existe a ideia de que ela deve ser bem limitada. Na verdade, não deve! É importante que a alimentação seja bem variada e equilibrada, e composta, principalmente, por alimentos naturais, que colaborem para estabilizar o nível de açúcar no sangue. A seguir estão algumas recomendações da Sociedade Brasileira de Diabetes:
– Faça um planejamento e fracione a refeição em pelo menos 4 refeições ao dia, com intervalos de aproximadamente 3 horas;
– Diversifique a alimentação para um correto funcionamento do organismo! Ela deve ser equilibrada e conter todos os grupos: carboidratos, proteínas, gorduras, fibras vitaminas e minerais;
– Prefira as opções integrais de alimentos como pães, arroz, grãos, cereais, e massas, pois apresentam maior quantidade de fibras (nutriente que proporciona uma digestão mais lenta, permitindo maior saciedade e um melhor controle das taxas de absorção de açúcar no sangue);
– Varie o consumo de frutas, verduras e legumes durante o dia;
– Opte por comer frutas com bagaço e evite os sucos naturais concentrados;
– Prefira peixes, carnes e aves com menor teor de gordura e preparadas com pouca adição de gordura (assados, grelhados ou cozidos). Além disso, opte, sempre que possível, por leites, iogurtes e queijos com baixo teor de gordura (semidesnatados ou desnatados)
– Evitar o consumo excessivo de doces, mel, açúcar de adição (açúcar de mesa) e bebidas açucaradas (refrigerantes, as alcoólicas adoçadas com açúcar, as bebidas de frutas, as vitaminas, as energéticas e as esportivas)
– Hidrate-se!
– Consulte sempre um especialista. Procure sempre a orientação de um médico e nutricionista para condutas individualizadas, seguras e eficientes.

Assim, tanto para prevenção como para o controle da doença, uma alimentação variada e equilibrada, em quantidade e qualidade dos alimentos, tendo como base os alimentos in natura e/ou minimamente processados como vegetais, legumes, frutas, ovos e carnes, castanhas e sementes, grãos e cereais (preferencialmente os integrais) e leite, é fundamental. Somado à boa alimentação, a prática regular de exercício físico (quando possível e liberado por seu médico) a manutenção do peso e diminuição do estresse parecem também contribuir para o tratamento do diabetes.