O amaranto era utilizado pelos povos Maias, Astecas e Incas que ocupavam a América Latina. Naquela época, seus grãos eram consumidos cozidos, como o alimento fonte de carboidrato da refeição pelo aspecto e composição nutricional semelhante aos outros cereais, como o arroz e o trigo. Atualmente, este pseudocereal tem ganhado mais atenção.

Esse grão ganhou destaque pela sua composição nutricional, já que uma porção de amaranto cozido (4 colheres de sopa) fornece diversos nutrientes. Essa porção apresenta alto teor dos minerais magnésio, manganês e fósforo (que participam da formação dos ossos), e também é fonte de selênio e zinco, que são importantes antioxidantes. Contém fibras, que são essenciais para o funcionamento do intestino, órgão fundamental para a digestão e absorção de nutrientes, além de funcionar como uma barreira de nutrientes.

Uma outra notícia boa é que o amaranto também apresenta proteínas de boa qualidade, ou seja, apresentam substâncias (aminoácidos) que não são produzidos pelo corpo. Sendo assim, o amaranto pode contribuir com o consumo deste nutriente que é a base estrutural do corpo, já que participa da formação de músculos, pele, cabelo e unhas.

Como os outros cereais, o amaranto é muito versátil e pode ser utilizado de diversas maneiras, veja como é fácil incluir este grão ancestral no dia alimentar:

FARINHA: Sua farinha pode agregar sabor e nutrientes às preparações como pães e bolos. Ela pode ser a base ou complemento da receita.

FLOCOS: Os flocos de amaranto são a maneira mais popular de consumi-lo no Brasil. Eles são os grãos cozidos e secos que podem ser adicionados em iogurtes, salada de frutas e também em preparações doces e salgadas.

GRÃO: Este formato é o menos conhecido, mas pode ser usado cozido para variar os cereais nas refeições. Que tal consumi-lo com feijão, na canja, na salada ou em um risoto?

Motivos não faltam para você experimentar amaranto. São inúmeras as receitas que você pode criar com este grão. Veja aqui algumas dicas de como adicionar o amaranto nas suas receitas. E acredite: elas vão ficar deliciosas!

 

Referências bibliográficas

  • Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução – CNNPA nº 12, de 1978.
  • Capriles e col. Efeito da adição de amaranto na composição e na aceitabilidade do biscoito tipo cookie e do pão de forma. Alim. Nutr. 2006;17(3);269-274.
  • USDA: U.S. Department of Agriculture, Agricultural Research Service. USDA National Nutrient Database for Standard Reference, Release 26. 2013.
  • Whole Grains Council. Amaranth – May Grain of the Month.