A abóbora, também conhecida como jerimum em algumas partes do país, é produzida em regiões tropicais há milhares de anos. Ela é um legume e, portanto, apresenta em torno de 15 calorias por porção de duas colheres de sopa (70g). Pelo seu sabor diferenciado, com um toque adocicado, tem se tornado uma aliada de pessoas que não querem abrir mão do prazer sem extrapolar nas calorias.

As abóboras merecem destaque nutricional pelo seu teor de vitamina A, já que são uma fonte importante deste nutriente na alimentação. Essa vitamina, além de ação antioxidante, também atua no sistema de defesa e na visão. Além disso, as abóboras contribuem com o consumo de vitamina C, com ação antioxidante, e fibras, nutriente essencial para o equilíbrio do funcionamento do intestino.

Uma característica de todas as variedades, como todos os legumes, é o fato de apresentarem poucas gramas de carboidrato por porção — uma notícia interessante para as pessoas que desejam controlar o consumo de calorias, sem perder a qualidade nutricional. Por mais que apresentem composição nutricional similar, suas diversas variedades apresentam diferença de formato e textura, e podem ser usadas com criatividade:

  • Moranga: conhecida como “abóbora do dia das bruxas”, o seu formato faz com que seja usada como o recipiente das suas preparações. Assim como a sua versão pequena, a mini moranga, a qual tem sido recheada com carne seca, camarão e queijos, por exemplo;
  • Cabotia ou japonesa: de casca verde-escura e dura, geralmente é assada ou cozida por ser mais dura e ter o sabor mais salgado, é consumida como acompanhamento, purês e recheios de massas;
  • Pescoço ou menina: o tipo mais facilmente encontrado, é fibrosa e, pelo seu sabor doce, é bastante utilizada no preparo de doces e, ainda, por soltar bastante água quando cozida, é uma opção para sopas e cozidos;
  • Paulista: sua cor mais forte torna-a um legume atrativo para ser cortado em rodelas finas e assado como chips para incrementar uma refeição.

Você sabia que as sementes das abóboras também podem ser consumidas? São uma ótima alternativa de lanches, aperitivos e incremento de saladas, além de dar um toque especial para bolos e pães. Elas contêm gorduras boas, aliadas do coração, além de fibras e potássio, que contribuem com o equilíbrio do corpo.

A versatilidade e variedade de abóboras fazem com que sejam uma queridinha de pessoas de todas as idades e gostos. E você, qual e como prefere?

Referências bibliográficas

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Alimentos regionais brasileiros / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015. 484 p.
  2. Castro M. Virou abóbora: conheça as variedades e aprenda a melhor forma de usá-las. Jornal Estado de São Paulo, Paladar. 11/03/2015.
  3. NEPA- Núcleo de Estudos e Pesquisa em Alimentação. Tabela brasileira de composição de alimentos. TACO. Campinas: UNICAMP. 2011;4.