A gravidez é um momento especial e manter um estilo de vida saudável é fundamental para mamãe e bebê. Durante a gestação, tudo o que a mulher faz influencia no desenvolvimento do feto: sono, exercício físico, ambientes que frequenta e alimentação.

Manter uma dieta equilibrada, em quantidade e qualidade, garante os nutrientes importantes. Através dos alimentos é possível:

  • Fornecer energia: alimentos fontes de carboidratos, como pães, torradas, batata, macarrão e arroz, devem ser a base da alimentação para dar energia para a mãe realizar as suas atividades e o bebê crescer.
  • Formar as estruturas do corpo: tanto mãe quanto bebê precisam de alimentos fontes de proteína, como carnes, peixes e ovos, para a formação de músculos, cabelos e unhas. Ambos também precisam de minerais como cálcio e magnésio, presentes em leites e derivados, para a formação dos ossos.
  • Evitar a constipação: pelas alterações hormonais durante a gravidez, é comum o intestino funcionar mais lentamente durante a gestação. Através do consumo de fibras presentes em frutas, verduras, legumes e cereais integrais, somado à uma hidratação adequada, é possível melhorar o problema.
  • Prevenir a má-formação do feto: é recomendado que, no início da gestação, a mãe tome suplementos de ácido fólico (vitamina B9) e ferro. Além disso, é preciso consumir alimentos fontes desse nutriente como feijões, verduras escuras, ovo e farinha de trigo enriquecida presente em pães e massas (ácido fólico) e carnes vermelhas e peixes (ferro).
  • Resguardar a saúde da mãe e do bebê: alguns nutrientes atuam no fortalecimento do sistema de defesa, como vitamina A, que está presente em alimentos amarelos e laranjas como manga, cenoura e abóbora, a vitamina C, encontrada em frutas cítricas, como limão, acerola e morango, e o zinco, presente em carnes, cereais integrais e na castanha de caju.
  • Facilitar a digestão: como a digestão é mais lenta na gestação, é recomendado se alimentar a cada três horas para evitar a sensação de azia.

É de extrema importância higienizar e armazenar corretamente os alimentos para evitar contaminações. Também é recomendado evitar alguns alimentos que possam causar infecções, como queijos com fungos não aquecidos (camembert, brie e gorgonzola), carnes cruas ou malcozidas, e limitar o consumo de cafeína, presente no café e em alguns tipos de chá.

Para otimizar os benefícios da alimentação nesse período, não deixe de lado a prática regular de exercícios. O Pilates, por exemplo, é uma ótima opção para gestantes.

Fontes: I. Otten JJ, Hellwig JP, Meyers LD. Dietary Reference Intakes: The Essential Guide to Nutrient Requirements. Washington: National Academy of Sciences, 2006; II. Núcleo de Estudos e Pesquisa em Alimentação — NEPA. Tabela brasileira de composição de alimentos. TACO. Campinas: UNICAMP. 2011;4; III. National Health Service. Have a Healthy Diet in Pregnancy. United Kingdom Government. Disponível em: http://www.nhs.uk/conditions/pregnancy-and-baby/pages/healthy-pregnancy-diet.aspx#close Acesso em 16/11/2015; IV. National Health Service. Vitamins and Nutrition in Pregnancy. United Kingdom Government. Disponível em: http://www.nhs.uk/conditions/pregnancy-and-baby/pages/vitamins-minerals-supplements-pregnant.aspx#close Acesso em: 16/11/2015; V. National Health Service. Foods to Avoid in Pregnancy. United Kingdom Government. Disponível em: http://www.nhs.uk/Conditions/pregnancy-and-baby/pages/foods-to-avoid-pregnant.aspx#close Acesso em: 16/11/2015; VI. Brasil. Cuidados na gravidez garantem a saúde do bebê e da mãe. Governo do Brasil. 2014. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/saude/2011/10/cuidados-na-gravidez-garantem-a-saude-do-bebe-e-da-mae Acesso em: 16/11/2015.