Sabe-se que a alimentação equilibrada e completa é importante desde cedo, pois ela contribui para o crescimento e desenvolvimento adequados, qualidade de vida, prevenções de infecções e doenças na vida adulta. A infância é uma fase onde ocorre grandes mudanças físicas, psicológicas e sociais e, como forma de garantir esse crescimento e desenvolvimento adequados, a criança deve construir, com a ajuda inicial dos pais, bons hábitos alimentares.

O estilo de vida contemporâneo levou a sociedade a ter necessidade de refeições práticas e rápidas, trazendo mudanças nos hábitos alimentares e no estado nutricional das crianças e dos adolescentes, deixando a população pediátrica mais suscetíveis a problemas como a obesidade, o diabetes e a hipertensão arterial, entre outras doenças da modernidade.

Por isso, é extremamente importante, pensar não somente em quantidade dos alimentos e frequência das refeições, mas, também, na qualidade e na forma em que as crianças estão realizando essas refeições. Uma alimentação equilibrada e variada é aquela que irá garantir todos os nutrientes necessários, como as proteínas, os carboidratos, as fibras, as vitaminas e os minerais, que irão contribuir para o bom e correto funcionamento do organismo.

Considerando a composição das principais refeições, estas devem ter um alimento de cada um dos grupos a seguir:

  • Cereais ou tubérculos: arroz, quinoa, amaranto, trigo, cevada, milho, macarrão, batata e mandioca, dentre outros;
  • Leguminosas: feijões, lentilha, soja, ervilha, grão de bico;
  • Proteína animal: carne bovina, suína ou de frango, peixes e ovos;
  • Verduras e Legumes (crus e cozidos): cenoura, beterraba, chuchu, brócolis, abobrinha, berinjela, abóbora, alface, couve, escarola, rúcula, mostarda, entre outros.

E neste mesmo contexto, a composição dos lanches intermediários, incluindo as lancheiras, deve seguir a seguinte estrutura:

  • Líquidos: água, água saborizada, água de coco, chá e suco natural sem adição de açúcar;
  • Frutas: maçã, pera, morango, melão, jabuticaba, banana, tangerina, pêssego;
  • Carboidratos: pães, torradas, biscoitos sem recheios, bolos caseiros, tapioca;
  • Proteína: Leite, queijos e iogurtes.

Ao longo do dia é recomendável que a criança realize entre 5 a 6 refeições, sempre buscando um cardápio equilibrado, variado e colorido, conforme mencionado acima. Além disso, recomenda-se que tenha atenção no momento da refeição, sem distrações como brincadeiras, televisão, tablets, celulares, entre outros. Assim, ela irá saborear a refeição, prestar atenção nos gostos, aromas, texturas dos alimentos e aprender a ouvir seus sinais internos de fome e saciedade, construindo uma boa relação com a comida e formando bons hábitos alimentares.

Uma alimentação nutritiva, saborosa e variada, além de boas noites de sono e lazer, contribui para um adequado crescimento e desenvolvimento das crianças.