Após uma noite de sono, o café da manhã é um ótimo aliado para começar um bom dia, afinal é a refeição responsável por quebrar o jejum feito durante toda a noite. A ingestão regular de café da manhã pode favorecer as funções cognitivas do nosso organismo: atenção, raciocínio e memória — todas muito importantes para as atividades desenvolvidas durante o dia.

Sabe-se também que o hábito de realizar essa refeição causa alterações positivas que ajudam a regular a ingestão de calorias ao longo do dia e, consequentemente, auxiliam no controle de peso. Além disso, aqueles que consomem regularmente o café da manhã apresentam melhor qualidade da dieta, ou seja, se alimentam de maneira mais saudável.

Tão importante quanto criar a rotina de realizar o café da manhã é a sua composição, que deve ser balanceada e favorável para promover a saúde e garantir a saciedade:

*Os grãos, encontrados em pães, biscoitos, cereais matinais e farinhas, além das raízes, como a mandioca e a batata-doce, são a fonte mais comum de carboidratos, principal fonte de energia para o corpo e a mente, dessa refeição.

*Como fonte de proteínas, essenciais para a estrutura do corpo estão o leite, queijos e iogurte, que também são fontes de cálcio, e os ovos.

*As frutas frescas, secas ou sucos naturais sem adição de açúcar devem estar presentes no café da manhã, por contribuírem com o consumo de fibras e vitaminas importantes para a manutenção da saúde. 

Além de uma noite bem dormida, é fundamental que o café da manhã seja adequado para cada um. Veja abaixo alguns exemplos variados para o dia a dia:

  • Criança: bisnaguinha Fonte de Fibras + morangos
  • Adolescente: torrada + requeijão cremoso + suco de laranja
  • Mulher: pão Estar Leve Iogurte e Cenoura + queijo cottage + manga
  • Homem: pão integral + queijo minas + mel + uvas
  • Idoso: sem casca integral + geleia sem açúcar + café com leite

Referências bibliográficas

  1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica.  Guia alimentar para a população brasileira / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção. 2014.
  2. Jääskeläinen A, Schwab U, Kolehmainen M, Pirkola J, Järvelin MR, Laitinen J. Associations of meal frequency and breakfast with obesity and metabolic syndrome traits in adolescents of Northern Finland Birth Cohort 1986. Nutr Metab Cardiovasc Dis. 2013 Oct;23(10):1002-9.
  3. Levin KA, Kirby J, Currie C. Family structure and breakfast consumption of 11-15 year old boys and girls in Scotland, 1994-2010: a repeated cross-sectional study. BMC Public Health. 2012 Mar 22;12:228.
  4. Pivik RT, Tennal KB, Chapman SD, Gu Y. Eating breakfast enhances the efficiency of neural networks engaged during mental arithmetic in school-aged children. Physiol Behav. 2012 Jun 25;106(4):548-55