Sabe aquela hora que você sai do banho, abre a porta do guarda-roupas e fica sentada na cama em estado de inércia, sem ter ideia nenhuma do que vestir? E, mesmo com o armário abarrotado, parece tão difícil combinar e decidir o que usar… Se identificou, né? Temos uma luz no fim do túnel para você! Simplifique sua rotina com um armário-cápsula. Perca menos tempo se arrumando, menos dinheiro em roupas e ainda contribua para um consumo consciente. Entenda mais sobre o conceito minimalista com a gente.

1º Passo

Seu armário precisa estar organizado e é necessário otimizar o espaço com o que você realmente usa. É difícil, mas tenha em mente que menos é mais. Separe que o você vem prometendo usar há séculos e nunca cumpre, o que você já enjoou, o que está velho demais… Desapegue das emoções e das lembranças! Doe, venda ou troque o que estiver encalhado. Mais qualidade e menos quantidade nessa hora. Isso é ser minimalista!

2º Passo

Ninguém melhor do que você para conhecer seu gosto e estilo próprio. Experimente as peças que sobraram e estude as combinações possíveis, as cores e as estampas. Perceba que muitas roupas podem ser mais versáteis do que outras como uma calça social, uma camisa branca, uma calça jeans escura, um shorts jeans, uma saia lápis, um cardigan, um terninho, um vestido preto… E acredite: um número reduzido de itens estimula sua criatividade e ainda promove o autoconhecimento.

3º Passo

Para montar seu armário-cápsula não existe uma fórmula ou um número pré-definido de peças, mas tente ficar entre 30 e 80 unidades para as quatro estações do ano. Este conceito surgiu na década de 70 com uma estilista inglesa, Susie Faux, que acreditava que uma mulher deveria ter apenas peças essenciais e atemporais que pudessem lhe dar confiança em qualquer situação. A ideia é antiga, porém mais atual do que nunca já que conversa diretamente com o consumo consciente, um tema tão presente e frequentemente discutido no mundo da moda.

 

Por Thamyê Bloes