Hoje é celebrado o dia nacional do café. Esse dia, celebrado no Brasil desde 2005, relembra um importante período histórico e de desenvolvimento, com o início das grandes plantações cafeeiras no país. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Café, aproximadamente 9 em cada 10 brasileiros, a partir dos 15 anos, consomem café. Essa bebida é também a segunda mais consumida no mundo, só ficando atrás da água. Mas será que essa deliciosa paixão nacional é aliada ou vilã para uma vida saudável?

Bom, como tudo, isso depende de muitos fatores! Desde o estado de saúde de quem está consumindo, a idade, e de como será consumida essa bebida, como por exemplo, a quantidade, tipo de café, concentração de cafeína, acompanhamentos e se foi consumida com açúcar ou adoçante. Vale destacar que o ideal é que a bebida seja consumida sem nenhum agente adoçante.

Já em relação ao tipo de café, existe diferença entre o café coado e os cafés vendidos em cápsulas. O primeiro, costuma ter mais ativos antioxidantes, aroma, sabor e consequentemente maiores benefícios para a saúde. Também possui um teor mais baixo de cafeína do que o vendido em cápsulas, esse último também pode conter uma grande quantidade de aromatizantes e o alumínio da cápsula. Entre os benefícios do café estão sua ação energizante e diurética. A bebida também possui uma enorme quantidade de polifenóis antioxidantes, chamados ácidos cloro gênicos.

Foi publicado em uma importante revista científica, New England Journal of Medicine, um estudo analisando os hábitos de consumo de café em mais de 400 mil mulheres e homens americanos. Os resultados dessa pesquisa demonstraram que o consumo de café pode estar inversamente relacionado à mortalidade total. Além disso, os consumidores de café apresentaram menor mortalidade por doenças respiratórias, acidente vascular cerebral, diabetes, doenças infecciosas e cardíacas. Essa associação foi semelhante tanto para os consumidores de café com cafeína quanto descafeinado.

Não se pode esquecer que o café é uma bebida estimulante, por isso devemos nos atentar a quantidade. Em geral, costuma ser aceitável o consumo de até 400mg de cafeína por dia, preferencialmente de forma fracionada, para se ter uma ideia uma xícara de café tem em média, 70mg de cafeína e este valor pode ser maior no tipo expresso. Seu consumo também deve ser reduzido no período da noite, para não atrapalhar o sono. O ideal é que a primeira xícara seja consumida na primeira hora do dia e as demais, com intervalos mínimos de duas horas.

É importante ressaltar que o café também pode ser um vilão.  Em cardiopatas, pode aumentar a chance de arritmias, aumentar o estado eufórico de indivíduos ansiosos e os sintomas de insônia. Em indivíduos que possuem sensibilidade a cafeína pode causar enjoo, fraqueza e sonolência.  Seu excesso também pode levar a ansiedade, agitação, náusea e dores de cabeça.

Então, assim como tudo na vida, o café deve ser consumido com moderação.  E longe de excessos pode ser um aliado para a saúde e trazer inúmeros benefícios. Dá para tomar aquele cafezinho de cada dia e ser feliz!