A gente sabe que nem sempre é fácil convencer as crianças a comerem legumes e verduras nas refeições. Esta tarefa, que parece impossível para muitos pais, pode ser cumprida com a inclusão de alguns hábitos na rotina dos pequenos e no preparo dos alimentos. Quer saber como? Confira nossa seleção de cinco dicas para que seu filho nunca mais rejeite uma alface ou cenoura na hora de comer!

Leve as crianças para a cozinha. Como nós já contamos aqui, esse é um hábito que deve fazer parte da rotina dos pequenos. Além de conhecer o preparo da refeição, é importante que eles participem dessa etapa com tarefas simples, como lavar as folhas ou escolher quais itens vão fazer parte da salada.

Visite uma horta com seu filho. Conhecer uma plantação, uma horta simples ou até mesmo levar o pequeno à feira com você pode fazer uma diferença grande na hora de comer. Esta é uma chance para que ele entre em contato com o alimento, conhecendo as texturas, cores, cheiros e formatos.

Transforme tudo em uma grande brincadeira. Contar uma história que envolva os alimentos é uma tática divertida e educativa para fazer seu filho se aproximar dos legumes e verduras. Aqui no Sabor de Uma Vida Melhor nós já ensinamos a fazer um trilho de trem com a ajuda de bisnaguinhas. Uma ideia criativa e saborosa!

Aposte em pratos criativos e coloridos. Nada como uma boa apresentação para chamar a atenção das crianças na hora de servir um lanche. Esse sanduíche de pão de forma sem casca com salame ficou mais nutritivo e bonito com a cenoura, o pepino e a azeitona ajudando a montar um peixinho.

E se nada disso der certo? Fique tranquilo. Como nós já mostramos aqui, você só deve desistir de um ingrediente no cardápio do seu filho depois de testá-lo em diferentes apresentações e formas de preparo.

As dicas acima mostram que é preciso muito empenho dos pais antes de ter a certeza de que os filhos não gostam de verduras e legumes. Ou seja: experimente novos pratos e teste o interesse das crianças outra vez! E, mais importante ainda, participe do preparo e coma com eles. Afinal, os adultos são o principal exemplo a ser seguido.