Amamentar é muito mais do que o ato de nutrir a criança — é um importante momento de interação e criação de vínculo entre mãe e filho, com diversos impactos positivos para os dois. Durante a amamentação, o corpo da mãe precisa de mais energia, mais nutrientes e mais líquidos para a produção do leite em quantidade e qualidade adequadas. Assim, para que a alimentação seja balanceada nesse período, aqui vão algumas dicas importantes:

  • Ingerir pelo menos 2 litros de água para manter a hidratação e o volume de leite produzido. Para complementar, é possível tomar suco de frutas sem adição de açúcar, água de coco e chás que não contenham cafeína nem açúcar (como hortelã e camomila);
  • Consumir alimentos fontes de carboidratos, que dão energia para o corpo e a mente. O ideal é dar preferência para os cereais integrais, como arroz integral, trigo, quinoa, feijões e tubérculos (batata e mandioca, inhame, cará, mandioquinha), que, além de maior teor de fibras, também têm vitaminas do complexo B e minerais importantes para o crescimento e o sistema de defesa, como o zinco;
  • Ingerir diariamente frutas, legumes e verduras que são fontes de fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes importantes para a defesa, crescimento, desenvolvimento e funcionamento do corpo da mãe. É recomendado que a mamãe varie os tipos de alimentos, já que cada um tem uma composição nutricional diferenciada;
  • Incluir leite, queijos e iogurtes diariamente na alimentação, que são a principal fonte de cálcio — mineral essencial para a formação de ossos e dentes;
  • Ingerir carnes, peixes, ovos e aves todos os dias, pois eles fornecem proteínas, vitaminas e minerais fundamentais para a formação de todas as estruturas do corpo;
  • As castanhas e os óleos vegetais são ótimas fontes de gorduras boas, essenciais para o funcionamento e proteção do corpo.

O aleitamento materno cria um vínculo entre a mãe e o recém-nascido. É importante para a saúde do bebê e da mãe, afinal, o leite materno fornece todos os nutrientes essenciais para a saúde do bebê, inclusive para a formação do seu sistema cognitivo, como a memória e o raciocínio, e de defesa, pois evita infecções, diarreia e alergias. No caso da mãe, o aleitamento materno ainda contribui com a proteção da saúde, reduzindo o risco de infecções e sangramentos.

É importante consultar um nutricionista ou médico, que fará indicações individualizadas para que cada mãe e recém-nascido tenham um período de amamentação tranquilo e seguro.

Referências bibliográficas

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde da criança: nutrição infantil: aleitamento materno e alimentação complementar. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2009.

Brasil. Senado Federal. Orientações nutricionais: da gestação à primeira infância. Biênio 2015-2017.

Fundação Maria Cecilia Souto Vidigal. Amamentação: mais de dez benefícios para a criança. 2014.