Quem nos ajudou com dicas criativas para resolver esse dilema foi a nutricionista Luciana Pereira de Souza, da Universidade Cruzeiro do Sul. “É possível criar outros pratos a partir dos que foram servidos no dia anterior. Muitas vezes, o preparo faz com que nem mesmo quem estava na festa descubra esse segredo”, destaca. Confira as sugestões da especialista:

Carnes: Assim que a ceia terminar, desfie e guarde na geladeira os assados como o pernil, lombo, tender e chester, armazenados em vasilhas diferentes. “Eles serão ótimas bases para o recheio de tortas e empadões, acompanhados de legumes, cremes ou molhos.”

Arroz: Um dos itens que mais sobra depois da ceia, o arroz branco se transforma no dia seguinte em base para a massa de bolos salgados, nhoque e outros lanches. Essas preparações podem ser consumidas na hora ou congeladas para comer depois.

Frutas in natura: A melhor opção para um consumo rápido das frutas é em forma de salada – onde podemos acrescentar cremes ou sorvete. Mas atenção: cuidado com o acompanhamento escolhido! Eles aumentam o valor calórico da sobremesa. Outra saída é preparar um suco natural, principalmente com a melancia e o melão, que são as frutas mais usadas na decoração da mesa na ceia.

Frutas secas: As castanhas, amêndoas e nozes, quando trituradas, são ingredientes interessantes para bolos e tortas (doces ou salgadas). Além de deixar o prato mais crocante, elas ainda contam com boas gorduras, que fazem bem ao coração.

Cuidados para armazenar os alimentos

Qualquer um dos alimentos que você serviu cozido durante a festa deve ser conservado na geladeira, antes e depois da ceia. Capriche na decoração da mesa e deixe para trazer os pratos pouco antes de servir. Após a refeição, guarde tudo o quanto antes, para garantir que as sobras estejam seguras para a reutilização.

Agora é só organizar o que sobrou da ceia, usar a criatividade e preparar novas receitas com esses ingredientes!

Por Marina Oliveira