Com o passar dos anos, nossa pele tem diferentes necessidades para se manter saudável. Consequentemente, os cuidados que ela exige mudam no decorrer da vida. Para esclarecer as dúvidas mais comuns sobre o assunto, conversamos com a dermatologista Camila Petzold.

  1. Quais são as modificações da pele aos 20, 30 e 40 anos de idade?

Aos 20 anos: a pele ainda não sofre de perda de colágeno e sustentação, portanto ainda não é necessário iniciar com cremes “anti-idade”. Nessa fase é importante iniciar a proteção solar e manter a pele hidratada.

Aos 30 anos: o colágeno (classe de proteínas que promove a elasticidade da pele) entra em um processo de degradação mais acentuado. Podem começar a ser vistos os primeiros sinais de envelhecimento e as primeiras linhas de expressão. As manchas causadas pelo sol, pelo uso de anticoncepcionais ou por gravidez ficam mais evidentes.

Aos 40 anos: o envelhecimento acentua-se um pouco mais, dando início à flacidez, rugas mais acentuadas e possivelmente mais manchas. Por causa das alterações hormonais a pele começa a perder o viço e a elasticidade.

  1.    Quais produtos são indicados para cada idade e qual o objetivo de cada um deles?

Aos 20 anos: hidratante (específico para cada tipo de pele) e protetor solar diário. No caso de peles oleosas ou acnéicas, comum nesse período por alterações hormonais, dar preferência àqueles que não contenham óleo (“oil-free”). O uso de um antioxidante, como por exemplo a vitamina C, pode ser iniciado também já nessa fase. A vitamina C, além de ser um potente antioxidante, também ajuda a hidratar e iluminar a pele, prevenir manchas e estimula a síntese de colágeno.

Aos 30 anos: além do filtro solar e hidratante, iniciar o uso de:

Ácidos – para estimular a renovação celular, a produção de colágeno e prevenir a flacidez.

Antioxidantes – como vitamina E, vitamina C, pycnogenol, resveratrol, entre outros. Eles combatem os radicais livres e auxiliam na prevenção do envelhecimento.

Para combater manchas – cremes clareadores à base de hidroquinona, ácido kójico, arbutin, entre tantos outros. Pode iniciar também um creme para área dos olhos, com vitaminas A e C por exemplo, que previnem o envelhecimento.

Aos 40 anos:

Cuidar da pele é um hábito importante em qualquer idade, mas cuidar da pele aos 40 torna-se uma necessidade. É necessário, além de manter a proteção solar diária, intensificar o uso de hidratantes, já que a pele começa a perder sua hidratação natural. Substâncias como o ácido hialurônico e estimulantes de aquaporines, ajudam a manter a umidade da pele.

Devido ao aumento da flacidez nessa fase, cremes que contenham ativos tensores são muito bem-vindos.

Importante: em todas as idades, o uso de hidratante adequado para cada tipo de pele e protetor solar é indispensável!

  1. Por que é importante cuidar da pele desde cedo?

A máxima “prevenir é melhor do que remediar” é verdadeira. Cuidar da pele desde cedo evita a perda do viço natural, impede a formação de manchas e, a longo prazo, diminui a formação de rugas. Além disso, o hábito de usar protetor solar desde cedo evita um envelhecimento precoce causado pela radiação solar. Este dano só será percebido mais tarde, depois dos 30 ou 40 anos, dependendo de cada pessoa.

  1. Quais são os maiores amigos e inimigos da pele?

Maiores inimigos:

Sol

Os raios solares penetram na epiderme e podem destruir o colágeno. Além disso, também ressecam a pele, provocam rugas e manchas. A exposição solar excessiva também pode causar câncer de pele.

Cigarro

A nicotina produz uma enzima que destrói as fibras que formam o colágeno, portanto resultando em mais rugas e flacidez. Ela congestiona vasos sanguíneos, diminui oxigenação da pele, seca os lábios e aumenta as rugas ao redor dos mesmos. A nicotina, ainda, deixa a pele com coloração amarelada e reduz a lubrificação cutânea.

Melhores amigos (ajudam a barrar o envelhecimento):

  • Protetor solar;
  • Beber muita água;
  • Alimentação equilibrada;
  • Atividade física;
  • Evitar estresse.

Saiba mais sobre pequenos hábitos que ajudam a retardar o envelhecimento do nosso organismo.

Fonte: Dra. Camila Petzold, dermatologista. CRM: 111.670.