Em tempos de instabilidade econômica, quando precisamos ser mais flexíveis e botar em prática todo o nosso jogo de cintura, é importante parar por uns minutos e fazer um bom planejamento. As escolhas precisam ser feitas com ponderação e inteligência, afinal, também é importante manter a saúde financeira em equilíbrio.

Para ajudar a traçar um plano, trouxemos algumas dicas de economia doméstica:

Entender o cenário

O primeiro passo é mapear os gastos da casa. Ter o levantamento da renda familiar e das despesas é fundamental para entender em que o dinheiro está sendo gasto. Tendo esse conhecimento, é mais fácil saber onde é possível cortar custos.

No supermercado

As compras em supermercados estão entre as maiores fontes de gastos mensais. Para evitar surpresas no caixa, faça uma lista com base no valor que você tem disponível para gastar e se mantenha fiel a ela quando estiver passando pelas tentações das gôndolas. Outra dica importante é não ir com fome, porque ela nos deixa mais vulneráveis a colocar no carrinho itens que não são necessários.

Comparar preços

Sempre que possível, compare preços pela internet. As lojas fazem muitas promoções online e os preços podem variar bastante de um lugar para o outro.

Economizar luz

Muitas vezes trocamos de cômodos, ou saímos de casa, e esquecemos de apagar alguma luz. Sempre faça uma ronda e veja se os ambientes vazios estão com as luzes apagadas e oriente seus filhos e familiares a fazer o mesmo. Outra dica é desligar os aparelhos eletrônicos que não estão em uso, como computadores. Por fim, a troca de lâmpadas tradicionais pelos modelos fluorescentes pode gerar uma economia de até 75% na conta de luz. Elas custam um pouco mais, mas no longo prazo a economia compensa.

Não desperdiçar alimentos

Muitas vezes desperdiçamos parte dos alimentos que poderiam ser utilizadas em outras refeições. Algumas cascas e folhas são ricas em vitaminas, sais minerais e proteínas e podem ser aproveitadas na nossa alimentação, como:

  • Folhas de cenoura, beterraba, batata-doce, nabo, couve-flor, abóbora, mostarda, hortelã e rabanete;
  • Cascas de batata inglesa, banana, tangerina, laranja, mamão, pepino, maçã, abacaxi, berinjela, beterraba, melão, maracujá, goiaba, manga, abóbora;
  • Talos de couve-flor, brócolis e beterraba;
  • Entrecascas de melancia e maracujá;
  • Sementes de abóbora, melão e jaca.

Aproveitar integralmente os alimentos abre as portas para novas receitas, já que cada um deles pode render até cinco preparações diferentes quando utilizados talo, casca, semente, folha e polpa.

Há também outras formas de economizar quando o assunto são alimentos. Ao cozinhar verduras, é possível aproveitar a água do cozimento para fazer sopas, molhos ou cozinhar arroz. O pão que sobra do café da manhã pode acompanhar saladas, sopas ou rechear aves, por exemplo. Outra sugestão é assar vários pratos no forno ao mesmo tempo para economizar gás.

Economizar água

A água é um recurso fundamental para o nosso dia a dia. Fazer essa economia impacta no orçamento e na sociedade em que vivemos.

Veja dicas aqui.

Fonte: Guarde Dinheiro; ONG Banco de Alimentos; GuiaBolso.