Você já ouviu falar em Fome Oculta? De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), essa síndrome é a necessidade de um ou mais nutrientes quando não há sinais de carência, mas o organismo sofre alterações que deixam sequelas.

A falta desses nutrientes aumenta o risco de desenvolvimento de doenças como o diabetes, câncer, osteoporose e problemas cardiovasculares. A Fome Oculta afeta uma em cada quatro pessoas no mundo.

As causas mais comuns para o problema são o excesso de exercício feito sem uma reposição adequada dos nutrientes perdidos e um estilo de vida estressado, que acaba causando a má absorção de nutrientes.

Os primeiros sinais são músculos contraídos ou doloridos e cãibras, causados pela falta de magnésio no corpo. Depois vem cansaço, fraqueza e irritabilidade. Se a pessoa continua fazendo exercícios demais e se alimentando mal, pode chegar à exaustão física. Pequenas carências de vitaminas podem provocar sintomas como alterações na pele e mucosas, queda de cabelos, cansaço e alterações na formação de colágeno.

Uma alimentação equilibrada, que inclua todos os grupos alimentares, previne a Fome Oculta. A variedade é muito importante para evitar a escassez de nutrientes essenciais. O tradicional prato colorido continua sendo uma boa recomendação, já que a vitamina é que dá cor aos alimentos. Quanto mais cores, mais nutritiva é a refeição.

Segundo a Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher (PNDS), os principais nutrientes de atenção para a população brasileira são o ferro, a vitamina A e o iodo.

O ferro é encontrado em carnes e vegetais folhosos, e a vitamina A tem como principais fontes fígado, ovos, leite e derivados e vegetais verdes e de amarelo intenso. Atualmente a principal fonte de iodo é o sal de cozinha, que tem que ser obrigatoriamente fortificado com esse mineral.

Uma fonte importante de outras vitaminas e minerais são os grãos. Os nutrientes contidos neles são essenciais para o funcionamento correto do nosso organismo e participam de sistemas como o imunológico e o digestivo, além de ajudar na manutenção da saúde de estruturas do nosso corpo, como ossos, unhas, cabelos e músculos. Saiba mais sobre eles.

Fontes: I.http://www.usp.br/agen/rede485.htm#fome; II.http://www.unimedvtrp.com.br/dicas_saude/fomeoculta.htm; III.http://www.usp.br/agen/bols/2002/rede912.htm; IV: BRASIL. Ministério da Saúde. Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher – Resultados sobre Anemia e Hipovitaminose A no Brasil. 2009; V. Organização Mundial da Saúde; VI. Instituto de Nutrição da UFRJ.