Quando discutimos os perigos do jejum, lembramos que ficar sem comer é um hábito que, além de prejudicar a dieta, pode trazer doenças. A gastrite (inflamação no estômago que causa dores, queimações e indigestão) é uma delas! Se você sofre com esses sintomas e eles melhoram ou pioram depois da alimentação, fique atento: esse é um sinal para um possível diagnóstico da gastrite. Quer saber como se proteger?

O médico gastroenterologista Leandro Batista de Azevedo, da Unimed Costa Oeste, lista ainda a náusea, o vômito e a perda de apetite como sintomas. “A gastrite chega como uma forma de alerta, avisando que algo no organismo não está funcionando bem”, conta.

Quais hábitos podem causar a gastrite?

De acordo com o especialista, dieta desequilibrada e sedentarismo estão no topo da lista dos possíveis causadores da gastrite. O consumo de refrigerantes, sucos de caixinha, fast foods e alimentos industrializados com poucas fibras pioram o problema. Uma vida estressante e o uso em excesso de anti-inflamatórios também contribuem para o aumento de ácido no estômago.

Os diferentes tipos de gastrite

Azevedo destaca que existem diversas formas para o surgimento da gastrite, como a crônica, a aguda e a bacteriana, por exemplo. “Dentro desses tipos, ainda podemos classificá-la como leve, moderada ou intensa”. Os sintomas costumam ser parecidos e podem confundir o diagnóstico. Por isso, a melhor saída é procurar um especialista para resolver o problema.

Como se proteger

O tratamento é definido de acordo com cada tipo e estágio da gastrite. O médico lembra que existem remédios que aliviam os sintomas, mas que a reeducação alimentar e a alteração nos hábitos de vida são os melhores remédios. Uma mudança positiva no seu cardápio, com os nutrientes essenciais e quantidades equilibradas, vai fazer toda a diferença. Além disso, a prática de exercícios físicos e uma revolução na rotina para evitar o estresse são essenciais. Proteja-se!

Por Marina Oliveira