O índice glicêmico de um alimento é definido de acordo com a velocidade que o seu carboidrato leva para chegar à corrente sanguínea e a manutenção dos níveis de açúcar por um determinado período de tempo. Ele pode ser baixo, médio ou alto.

No dia a dia, o ideal é dar prioridade aos alimentos de baixo e médio índice glicêmico, ou seja, que apresentam baixa e média velocidade de entrada de açúcar no sangue após o consumo. Entre eles, estão os pães e grãos integrais. No entanto, não é necessário excluir os alimentos de alto índice glicêmico da dieta, uma vez que, em determinados momentos do dia, como na prática de atividade física, os mesmos são necessários. A chave da boa alimentação é o equilíbrio.

Se consumidos em conjunto com um alimento fonte em fibras (sementes, por exemplo) ou uma fonte de proteínas (carne, frango, peixe, ovo, leite e queijos) — nutrientes capazes de reduzir a passagem do açúcar para o sangue —, os alimentos de alto índice glicêmico não desequilibram o organismo. Procure manter uma dieta balanceada, colorida e variada e dê preferência aos alimentos integrais, ricos em fibras, vitaminas e minerais, essenciais à saúde!

Saiba mais sobre as vitaminas e minerais, chamados de micronutrientes, e em quais alimentos são encontrados.

Fonte: I. CARVALHO, G.Q.; ALFENAS, R.C.G. Índice glicêmico: uma abordagem crítica acerca de sua utilização na prevenção e no tratamento de fatores de risco cardiovasculares. Rev. Nutr. vol.21 no.5 Campinas Sept./Oct. 2008; II. C NDIDO, F.G.; PEREIRA, E.V.; ALFENAS, R.C.G. Use of the glycemic index in nutrition education. Rev. Nutr. vol.26 no.1 Campinas jan./fev. 2013; III. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde; 2006.