A gente sabe que os diferentes tipos de pães existentes hoje são ligados às culturas locais dos povos que inventaram cada receita. Mas se engana quem pensa que a história desse alimento termina aí!  Ele já foi o responsável por guerras vencidas e leis criadas, além de ter significados muito mais profundos do que apenas satisfazer a fome. Você encontra tudo isso nas 581 páginas do livro Seis mil anos de pão, do historiador alemão Heinrich Jacob.

Um exemplo usado na obra é o de Napoleão Bonaparte, o grande conquistador francês. Segundo o livro, o fracasso do líder em dominar os territórios da Europa no século XIX é atribuído, entre outros itens, à falta do trigo para a preparação dos pães. O alimento também ajudou as tropas do Norte a vencerem a Guerra Civil dos Estados Unidos, já que elas recebiam os melhores pães, fabricados com ingredientes selecionados.

O nome Seis mil anos de pão se justifica quando o autor conta a história da invenção do alimento. Segundo a obra, ela é datada do ano 4.000 a.C., e foi feita pelos egípcios, que perceberam as utilidades do fermento no processo de fabricação de produtos.

A obra foi editada no Brasil pela Nova Alexandria, e está à venda aqui por R$ 97. Para acompanhar essa leitura, nada melhor do que seu pão favorito!

Por Lucas Tavares