Você acha que é possível ter um trabalho cujo único objetivo é inspirar pessoas? Pois foi procurando inspiração para responder perguntas como “Qual será o meu propósito nesse mundo?”, “Será que cada um de nós tem um talento especial?”, “Como colocá-lo em prática em prol de uma vida com mais sentido?”, que Priscilla Adduca criou, há 2 anos, o projeto Mulheres que Inspiram.

“Para descobrir todas essas respostas, fui atrás de exemplos que pudessem me inspirar. Foram horas, dias, semanas, procurando histórias de pessoas que se sentiam felizes e realizadas com suas carreiras e estilos de vida. Gente corajosa, decidida e determinada que mudou o rumo da própria vida para se reinventar. Num determinado momento, me vi tão imersa nessa pesquisa que comecei a sentir os primeiros sinais de que estava me reconectando comigo mesma. Não pensava em outra coisa a não ser pesquisar cada vez mais histórias. Até que veio a ideia: e se eu reunisse todos esses exemplos e trajetórias em um só lugar? E se eu conectasse as mulheres que têm as mesmas dúvidas e ajudasse a redescobrir sua essência e o que elas têm de melhor?”.

Priscilla, baiana nascida e crescida em Salvador (BA), vive em São Paulo há 9 anos, é formada em Direito, mas sonhava cursar Arquitetura. Saiu da faculdade com um diploma nas mãos e, como muitos, com a certeza de que aquele não era o seu caminho. “Queria ter liberdade de tempo e espaço para trabalhar na hora e no lugar que eu quisesse e desejava desenvolver um trabalho que trouxesse sentido para a minha vida”, conta.

Mas, afinal de contas, qual é o objetivo do Mulheres que Inspiram? “Quero mostrar pro mundo como é possível construir a nossa história do jeitinho que a gente sonha se a gente realmente estiver disposto a realizar”. Priscilla diz que vê mulheres absolutamente infelizes com seus trabalhos porque não têm coragem de mudar o rumo de suas carreiras e de suas vidas. Mulheres que seguem o fluxo de uma multidão, sem nem saber pra onde estão indo. Reclamam que não têm tempo para a família e não encontram força ou apoio para mudar. Para Priscilla, isso não faz sentido. “Precisamos nos observar, encontrar nosso equilíbrio, aquilo que nos faz bem. Quando entregamos pro mundo a nossa melhor versão, nossa missão está cumprida, tudo começa a fazer mais sentido. Precisamos dar mais atenção aos nossos sonhos, à nossa intuição. As mulheres têm um poder muito grande de transformação, só precisam acreditar nisso”.

Até agora já foram mais de 150 entrevistas, centenas de matérias e um orgulho enorme de ter criado uma rede de mulheres empreendedoras, criativas, talentosas e conscientes de suas capacidades infinitas, singulares e especiais. Para o futuro, a mulher que inspira tantas outras Brasil afora conta que que investir em projetos que promovam experiências transformadoras para as mulheres, ou seja, não ficar só no mundo virtual.

Ficou com vontade de conhecer histórias inspiradoras e, quem sabe, ganhar aquele empurrãozinho que faltava para trilhar novos caminhos? Dê um pulo no site do projeto e inspire-se: http://mulheresqueinspiram.com/