Se concentrar no presente e focar a atenção única e exclusivamente na tarefa daquele momento é um desafio e tanto para a grande maioria das pessoas. O que muitas delas não sabem é o impacto que ser “multifacetado” pode trazer para as nossas vidas.

A prática do Mindfulness, ou Atenção Plena em português, é uma técnica que vem ajudando cada vez mais pessoas a criar e manter a consciência no momento presente, de forma plena e contemplativa. Os resultados da prática são benéficos em três vertentes: comportamentais, cognitivas e fisiológicas. Há diminuição da tensão e melhora da ansiedade, além do déficit de atenção.

“A meditação Mindfulness deriva de uma prática meditativa budista chamada Vipassana, que significa ver as coisas como elas realmente são. O mindfulness foi adaptado modernamente para o Ocidente na década de 1980 por Jon Kabat-Zinn, um biólogo americano que criou o Mindfulness para redução de estresse”, conta o Dr. Marcelo Csermak, mestre e doutorando em psicobiologia pela Unifesp e Membro da Sociedade Brasileira de Neurociências e Comportamento.

Mas e o momento da alimentação, tão importante na nossa rotina? Será que é possível se alimentar melhor na correria do dia a dia? A prática do mindful eating diz que sim. Para o Dr. Frederico Porto, médico psiquiatra, nutrólogo e professor da Fundação Dom Cabral, a alimentação tem um papel muito importante na nossa vida e precisamos estar mais atentos a isso: “A nossa relação com a comida é importantíssima, muda até nosso estado de espírito”, afirma.

Durante a alimentação, é muito importante ter a consciencia do próprio corpo. Este é o exercício: desenvolver sua atenção, como durante a leitura de um livro ou uma partida de tênis. Dr. Marcelo explica que comer com atenção nos ajuda a fazer melhores escolhas. “Prestar atenção no que eu como, onde eu como, por que estou comendo e quanto eu como pode me dar maior clareza sobre as melhores condutas que posso tomar, pois aprimoramos a observação dos nossos pensamentos e emoções durante as refeições.”

Para quem acha importante fazer uma pausa de verdade e apreciar o momento das refeições, aqui vão algumas dicas importantes:

* Crie um contexto
Antes de começar a comer, tome consicência do seu peso na cadeira. Dê atenção ao momento presente, ao estar ali. A comida não deve ser uma perda de tempo, ou seja, desconstrua a crença do “quanto mais rapido eu comer, melhor”.

* A mandíbula é quem manda
Quem determina o ritmo da mastigação é a mandíbula, não o garfo. Está mastigando? Deixe o garfo descansar e mastigue o tempo que for necessário. Isso ajuda a sentir melhor o gosto dos alimentos.

* Desligue o celular, a televisão… tudo!
O ideal é desligar o celular na hora da comida, nem que seja por 20 minutos, senão a mente vai longe, apenas o corpo estará ali. O fato de alternar tarefas faz com que a pessoa perca cerca de 1 minuto para voltar à tarefa anterior, ou seja, a mente demora 60 segundos para retomar a atividade de onde parou. “O mesmo vale para a alimentação — se você é interrompido 3, 4 vezes, na verdade seu almoço praticamente acabou”, afirma o Dr. Frederico.