Você costuma utilizá-los em saladas, peixes, sopas, pães e diversos outros pratos. Mas, na hora da compra, sabe diferenciar os diferentes tipos de azeite de oliva? Os nomes virgem, extravirgem e puro podem parecer complicados. Na verdade, eles separam os tipos do óleo por qualidade, cuidados na produção e características distintas de cor e aroma. Estes e outros fatores são determinantes para classificar os azeites nas categorias acima. Quer saber mais sobre esse alimento?

Óleo produzido a partir das azeitonas (extraídas de uma árvore chamada Oliveira), o azeite de oliva tem origem milenar. Entre seus benefícios, estão a ação antioxidante, a prevenção de doenças no cérebro e coração e a redução dos níveis de colesterol. Segundo a Associação Oliva, podemos dividir esse alimento em três tipos:

O azeite comum ou puro é muito famoso nas despensas brasileiras. Ele passa por processos químicos em sua produção, fato que o diferencia dos outros tipos. A acidez varia de 1,5% a 3%, e o produto é geralmente misturado aos azeites virgem ou extravirgem para ser vendido. Isso acontece porque a química envolvida retira grande parte de seu gosto, aroma e benefícios à saúde. É indicado para frituras, já que não possui grande valor nutritivo.

Diferente do puro, o azeite virgem é resultado de processos mecânicos ou físicos. Por causa disso, mantém as características de aroma, sabor, vitaminas e nutrientes. É mais saudável que o comum, e possui acidez entre 0,8% e 1,5%.

O mais saudável dos azeites é sem dúvida o extravirgem. Com acidez até 0,8%, ele não passa por nenhum refinamento químico. Isso faz com que seus nutrientes, assim como gosto e aroma, sejam mantidos. É o mais indicado para quem se preocupa com a saúde.

Agora ficou mais fácil entender os tipos de azeite nas prateleiras de supermercado! Conta pra gente: quais são seus usos favoritos para esse óleo?

Por Lucas Tavares