Branca, vermelha, gorda, magra… Os tipos de carnes são diversos. Mas você sabe exatamente quais são as diferenças entre eles? Se existe alguma alteração nas propriedades, indicações ou restrições de consumo? Para responder as dúvidas, conversamos com a nutricionista Caroline Dias Pereira, do Hospital das Clínicas de Padre Miguel. Depois desse papo, você vai saber fazer suas escolhas sem medo de errar!

As carnes são importantes fontes de proteínas e de minerais, como o zinco e o ferro. Tudo isso auxilia no crescimento, na função imunológica e na cicatrização. Se você não tem nenhuma restrição pessoal, o primeiro passo é contar sempre com um cardápio variado. “As refeições devem ser sempre equilibradas, independente do grupo de alimentos. O ideal é que haja o consumo das versões brancas e vermelha”, conta a nutricionista.

Ela ainda lembra que as carnes magras são as mais saudáveis, por contarem com menos gorduras. Peito de frango, alcatra, acém e patinho são boas opções. Já a hora mais indicada para o consumo é o almoço e o jantar, evitando combinar esse ingrediente com fontes de cálcio. “Essa associação tende a diminuir a absorção do ferro”.

“Desde os tempos pré-históricos, a carne tem papel significativo na história da alimentação. O consumo dela deve ser balanceado, variado e equilibrado”, completa a nutricionista.

Agora ficou mais fácil escolher os ingredientes das suas refeições principais! Não deixe de nos contar nos comentários quais são os seus tipos de carne e preparos prediletos.

Por Lucas Tavares