“Para emagrecer, o segredo é fechar a boca”. Quantas vezes você já ouviu essa frase? Quem deseja fazer as pazes com a balança deve deixar esse ditado de lado. O segredo é apostar em uma alimentação equilibrada. Isso porque ficar sem comer é um hábito que até ajuda a perder peso, mas não de maneira saudável. Quer entender por quê?

Ao passar muito tempo em jejum, perdemos nossas reservas de açúcar aos poucos. Assim, o corpo passa a utilizar outras fontes de energia como gorduras e proteínas. Quando tudo isso acaba, vem a sensação de apatia e a dificuldade de concentração. “Esse tipo de dieta faz com que a pessoa perca músculos, o que pode gerar flacidez e fraqueza. Além disso, ela pode ter anemia e alterações de humor”, conta a nutricionista e tutora do Portal Educação, Ana Paula Leão Rossi.

Outro problema que pode aparecer é a hipoglicemia, ou seja, a queda dos níveis de açúcar no sangue. Isso sem contar com a fome arrebatadora que surge horas depois. Esse é outro problema do jejum: sem equilibrar as refeições, corre-se o risco de consumir muito mais do que realmente precisamos. E convenhamos, é bem mais difícil controlar a dieta desse jeito!

Qual é o intervalo ideal entre as refeições?

Quando você leu aqui sobre a pirâmide alimentar e a importância de um cardápio balanceado, entendeu que cada nutriente tem uma função para a sua saúde. Além de escolher as melhores opções, é importante adequar as porções e horários em que fazemos cada refeição.

Isso significa que optar por fontes de carboidratos, proteínas, minerais e vitaminas quando sentar à mesa é sempre bem-vindo. Faça cinco refeições por dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. O ideal é manter um intervalo de 3h a 4h entre cada uma delas. Assim você evita o exagero, come pequenas porções e consegue emagrecer sem sacrifícios. Seguindo essas dicas, é possível perder peso de forma saudável e evitar o temido efeito sanfona.

E você, já sofreu com os perigos do jejum? Conte sua experiência para a gente!

 

Por Marina Oliveira